5 de jan de 2014

O Tempo e suas inferências

Estava lendo as respostas dos internautas sobre a pesquisa que "donos de iPhone são mais inteligentes". Ri muito.
É uma associação de explicações de toda forma.  Falaram em condições financeiras, submeter-se ao corporativismo dos fabricantes, facilidade de colocar cartão de memória extra, e vai por ai.
Não entro no mérito, mas não se pode medir inteligência por rapidez de respostas, levando em consideração apenas o fato de ser ou não usuário de um smartphone.
Da mesma forma, não se pode considerar usuários de Nokia (certamente aparelhos com Symbian) e usuários de BlackBerry como menos inteligentes.
O maior problema destas empresas (Nokia e Black) é que pararam no tempo e, desta forma, isto reflete nos seus celulares.  Isto, por si, não afeta os usuários a ponto de serem taxados como "menos inteligentes".
Uma coisa é certa e não precisa de pesquisas elaboradas: o ritmo de alguns seguimentos humanos, com a era da informação rápida e generalizada, mudou muito.
Muitas destas mudanças são reflexo da necessidade de raciocínio rápido e eficaz. Isto faz (e não precisa de especialista para ver isto) com qua o cérebro fique mais ativo e o processo de conhecimento/aprendizagem sofra alterações se comparado com as gerações do início, meados ou, até mesmo, de 15 anos atrás.
É uma adaptação constante.
Se considerarmos,  no período da II Guerra Mundial, a notícia demorava meses para  chegar. Tomei conhecimentos de pessoas que permaneceram, juntamente com a sua Companhia de Soldados, aguardando embarque  para a guerra mesmo depois que ela acabou.
Sou da geração que lia jornal. Tinha assinatura de jornal que demorava 2 dias para chegar. Hoje não leio jornal. Leio RSS agregado que me traz, em segundos, notícias do mundo todo. 
Da mesma forma que as notícias e informações mudam a cada segundo, o poder de gerar conhecimento pelas pessoas também muda. Se levarmos para a forma de algumas "análises"  do passado, poderá "nascer" uma tendência de segregação do tipo "pessoas tais são mais inteligentes que tais".
Para quem não leu a reportagem "Pesquisa indica que donos de iPhone são mais inteligentes", poderá acessar o link http://nzn.me/a48657.
Boa leitura, boas "inferências"  e bons (?) comentários.

Nenhum comentário:

Comments system

Disqus Shortname