12 de jul de 2009

Qual o valor do conhecimento?

O Estadão está com uma peça publicitária que diz: "Se hoje a informação é de graça, qual é o valor do conhecimento?"

A estratégia não é muito diferente de outros jornais que concedem uma assinatura temporária gratuitamente como forma de degustação. Se o cliente gosta, vai continuar. Mas não vou falar sobre a estratégia adotada, mas da literalidade do texto.

Qual o valor do conhecimento em tempos de informação fácil, corriqueira e abundante?

A informação está disponível de forma rápida: hoje os jornais conseguem colocar a notícia a disposição do usuário em questão de minutos após o acontecimento. A mesma informação está disponível em vários canais, ao mesmo tempo .  O usuário não precisa pagar nada por ela.

Existe um sistema de colaboração global bem fundamentado: através dos vários canais de informação, existe uma extensa rede de colaboração, composta de fóruns, grupos de discussão, wikipédias, blogs, sistemas de relacionamento e mídias públicas. Estes sistemas, além de disponibilizar a informação, contribuem para formação de um grupo de pesquisas constantes. A informação não se perde. As ferramentas de busca e indexação (Google, Yahoo!, AltaVista ou Bing) são as principais colaboradoras.

A informação sozinha não é conhecimento. Ela precisa ser processada e entendida pelo usuário. O conhecimento somente irá acontecer com o entendimento, aplicação e interesse.

Estamos saindo de uma era onde quem detinha o conhecimento tinha o poder. "Conhecimento é poder!", frase que já ouvi várias vezes. Hoje, qualquer que seja o conhecimento necessário, a informação respectiva está disponível livremente.

Qual o valor do conhecimento em tempos de informação corriqueira? É possível pagar pelo conhecimento? Como fica o processo de aprendizagem em tempos de informação em excesso?





2 comentários:

Raphael Tostes disse...

Seria muita pretensão querer que o conhecimento fosse apreendido, analisado e então aplicado...??? Sou da opinião que todo conhecimento é válido, nem que seja para mera diversão... Mas o que sinto faltar nos tempos de hoje é o senso crítico... Informação tem muita disponibilidade... Mas as pessoas sabem receber e filtrar...??? Entendo que não...

Mas que sim, o conhecimento é poder, isso é certo...

"A subjulgação de um povo se mede pela diferença de cultura entre aquele e quem o governa..."...

Abraços Matosão

Bruno Oliveira disse...

COncordo com o ponto de vista mas acredito que o assunto leva à indagação do Tostines: Conhecimento básico para captar a informação ou Informação por mais básica gera conhecimento?

Conhecimento é poder... Saber aplicá-lo é saber desfrutá-lo... Uma aplicação pode ser informar... Do que adianta possuir sem usufruir? O problema de hoje que a facilidade tornou o critério de diferenciação entre o sábio e o idiota em uma simples conta aritmética entre @quantos seguem mais a @quem... E muitas vezes quem vem informar não tem poder... ou tem mas não possuiu a destreza necessária... E aquilo que era pra ser profético pode tornar-se caótico... Informar vale tanto quanto conhecer pois são dependentes... Acontece que o valor do conhecimento só pode ser aferido por quem o tem... A informação, notícia, post, manchete são como os folders de propaganda que recebemos na rua: a gente lê - o que não interessa logo se vai; o que chama atenção, fica no carro até a proxima lavagem; o que desperta e interessa, a gente absorve, procura, pesquisa, busca CONHECER do que se trata... Mas tudo começou com o folder...

Comments system

Disqus Shortname